Ensaio sobre O Espelho

Como eu comentei - embora de uma forma levemente da boca pra fora - sim é verdade, eu te amo e não tenho coragem de admitir isso a maioria das vezes.

Eu gosto da forma como tu larga as coisas, como se as estivesse atirando cuidadosamente. Gosto de todas as suas cicatrizes e mais ainda quando descubro algo novo sobre elas. Gosto que me sinto extremamente vulnerável e fora do controle quando ao mesmo tempo tudo parece seguro.

Gosto de não precisar me preocupar se a conversa vai sair de nós dois ou não, porque o drama externo não existe.

Gosto de esquecer que existe amanhã quando estou ao seu redor e que não serei julgada por agir como sou.


Admiro todas as tuas lutas e frustrações porque elas te fizeram ser quem é e eu não mudaria nada em você.


Gosto da sua instabilidade porque é quem você é sem precisar se esforçar para ser compreendido ou não.


Gosto de me sentir devorada pelo mar que carrega em seus olhos e de me senti curiosa pelo que se passa na sua cabeça.

3 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo