Diários do Fogo e o Baque

24/01
Sinto agora um fluxo de ar límpido que atravessa minhas narinas e enche meu pulmão cansado. Sinto que as paisagens ganham cor e que as possibilidades já saem de trás dos muros. Percebo um pequeno movimento, que me ajuda a ver as coisas já com leveza.
Vejo com clareza que jamais poderia deixar essa mulher satisfeita, e que todos meus esforços jamais foram percebidos. E pelo contrário, sofria constantemente o fardo de sua constante apatia. Agora que tudo acabou, e aos poucos o cadáver lentamente apodrece, sinto não mais a atmosfera infecta e carregada, mas um merecido senso de alívio. Acho que vou sempre repetir a mim mesmo o quanto gostava dela, e o quanto viver com ela me trouxe momentos de tranquilidade, alegria, gozo e aprendizado. Mas como disse, não posso mais sofrer por sua perene inconstância e de certa forma, burrice perante o fluxo da vida.
Como já disse outra vez, agora é momento de recolher meus pedaços jogados por aí e ter carinho ao colá-los um por um. E me mantenho firme pois já passei por essa situação miserável algumas vezes. E faço aqui um elogio a mente, tão sardônica em nos fazer sentir limitados enquanto caminhamos por campos abertos, tão libertadora ao nos fazer sentir livres enquanto estamos fisicamente presos.

15. Oktober 2022

Hoje eu senti saudade de você

Hoje eu senti saudade de você como ontem, antes de ontem e ainda antes de ontem. A diferença é que hoje eu vi coisas que me fazem lembrar de você.

Não apenas por mandarem mensagem no aplicativo que você usa ou por eu olhar no Instagram que você criou se você não apagou a foto da tattoo que você fez, mas  porque ao sair do banheiro me deparei com tipo de garota que você provavelmente gosta, esse tipo não sou eu. E o pior é que com ela estava um garoto do tipo que eu gosto, provavelmente agora o seu.

Acabei de tomar um banho de água fria. 

São muitas perguntas sem resposta para alguém que nunca vai me dar uma explicação.

03/10
Que a verdade seja dita: aprenda a ficar sozinho ou se destrua sozinho. Tenho passado ótimos momentos, mas por mais que me esforce, e posso dizer que já foram mais de 4 tentativas, expandir um pouco o círculo social aqui me parece a tarefa mais dantesca de todas. As conversas não fluem, as respostas não tornam, e sobre isso sempre recai uma espécie de atmosfera de indiferença e indecisão fúnebres. Por que, me pergunto ao fim, é tão díficil me relacionar com outras pessoas, ou, o que falta em mim para atrair o interesse de outras pessoas? Tudo isso me pergunto, pelo simples motivo de tentar pertencer a uma trama social, que graças a pandemia, é agora inexistente. Praticamente todas minhas interações sociais são mediadas por um dispositivo tecnólogico esdrúxulo, e acredito que isso me causa certa ansiedade ou irritabilidade. As conversas, pelo menos pra mim, não ultrapassam mais o limite de tela, e apodrecem lentamente no espaço digital. Ler Nietzsche se revelou como algo benéfico pois a solidão gigante de Zaratustra me é reconfortante, ela é simpática, conversa comigo, diferente de toda essa ordem imagética e positiva, que sempre busca por experiências sensoriais imediatas, constantemente. Existe uma grande vontade de morrer, de sumir, porque sinto que não pertenço a nada nem ninguém aqui. E por mais que hoje já não nutro essa costumeira depressão, há um cansaço físico, muscular, puro reflexo de toda a ordem psicológica que vivo e sinto. Pergunto-me por fim, o que vale a pena? Vale a pena?

9. oktober 2022

As definições precisam ser atualizadas

As definições precisam ser atualizadas porque não foram atualizadas corretamente antes.

As ideias de definição de amizade foram pensadas mas não foram confirmadas por falta de garantia de sua exigibilidade.

Quanto mais penso nisso, menos chego a uma conclusão satisfatória pois as convenções sociais já estão tão sólidas que se eu tentar alterar elas apenas na minha mente vou ter que explicar a cada um toda vez que isso vier à pauta.

Eu me sinto só. E me sinto como se não fosse eu mesma e como se nada fosse tão legal a ponto de me levantar da cama. As coisas parecem ter perdido o sentido e a necessidade de serem executadas de imediato. As vezes me pergunto também se eu sinto. Ou se o que acho que sinto é realmente sentir.

Fico pensando em como são tolos os que pensam que mudar de lugar pode resolver tudo, sendo o que o que se deve resolver normalmente está dentro de nós. Mas como resolver o que está dentro de mim? Existe uma forma de resolver o que está dentro de mim? Me mudar de cidade e recomeçar pode resolver o problema? Aparentemente não, já que foi assim que tudo começou. Hoje só posso torcer para que colocar três gotas e duas pílulas dentro de mim todos os dias possa amenizar o meu problema.